Buscar
  • Clínica de Olhos Teixeira Pinto

CERATOCONE, muito além de coçar os olhos.


O QUE É? Ceratocone é uma doença ocular caracterizada por afinamento da córnea (estrutura transparente que fica a frente da íris, o colorido do olho, e pupila, parte escura central, que perde a sua forma original arredondada e passa a ter um formato de cone. A córnea fina e em forma de cone provoca visão embaçada e perda da acuidade visual, geralmente por astigmatismo ou miopia. O ceratocone surge, via de regra, na puberdade ou no início da vida adulta e parece ser mais comum em asiáticos, latinos e afrodescendentes. A doença normalmente afeta os dois olhos, mas ela costuma ser mais avançada em um deles. CAUSAS O ceratocone é uma doença não inflamatória da córnea de causa ainda desconhecida. Fatores ambientais e genéticos estão envolvidos, mas apenas 1 em cada 10 pacientes com ceratocone apresentam algum familiar próximo com o mesmo problema. Algumas doenças parecem aumentar o risco do paciente desenvolver ceratocone, incluindo síndrome de Down, síndrome de Ehlers-Danlos, retinite pigmentosa e osteogênese imperfeita, por exemplo. Outro fator de risco importante é o ato de coçar ou esfregar os olhos com frequência. Esfregar os olhos de forma vigorosa e frequente pode causar trauma na córnea e pode levar ao seu afinamento. Aproximadamente um terço dos indivíduos com ceratocone tem algum distúrbio alérgico, embora não esteja claro como eles estejam relacionados ao desenvolvimento do ceratocone. A hipótese é óbvia é de que as alergias causam coceira ocular e fazem com que o paciente coce os olhos com frequência. SINTOMAS No estágio inicial, os sintomas do ceratocone podem incluir:

  • Visão levemente embaçada.

  • Visão ligeiramente distorcida, na qual linhas retas parecem dobradas ou onduladas.

  • Aumento da sensibilidade à luz.

  • Vermelhidão nos olhos.

Já nos estágios mais avançados, os sintomas geralmente são:

  • Visão bem embaçada e distorcida.

  • Miopia ou astigmatismo que agravam rapidamente..

  • Incapacidade de usar lentes de contato gelatinosas, pois elas não se encaixam corretamente e são desconfortáveis.

Os primeiros sintomas da doença costumam surgir na puberdade ou no início da idade adulta e progridem até a quarta década de vida. Embora o ceratocone seja uma doença bilateral, os pacientes podem apresentar sintomas assimétricos, pois um olho pode ser muito mais gravemente afetado que o outro. O Sinal de Munson é típico do ceratocone avançado. Esse sinal consiste no recuo em forma de V da pálpebra inferior provocado pelo olho em forma de cone quando o paciente olha para baixo. DIAGNOSTICO Um oftalmologista pode desconfiar do diagnóstico de ceratocone no exame de refração, principalmente se ele tiver dificuldade de encontrar uma lente que corrija totalmente a miopia ou astigmatismo. O exame na lâmpada de fenda também pode mostrar sinais iniciais do ceratocone. Para a confirmação do diagnóstico dois exames complementares da córnea são fundamentais: topografia (que mede a curvatura) e paquimetria (que mede a espessura). TRATAMENTO O tratamento para o ceratocone depende da gravidade e da rapidez com que a doença está progredindo. Ceratocone leve a moderado pode ser tratado com óculos ou lentes de contato rígidas. Para muitas pessoas, a córnea se torna estável após alguns anos. Se esse for o seu caso, provavelmente você não terá problemas visuais graves ou precisará de tratamento adicional. Os óculos habitualmente não corrigem a visão em 100%, mas podem ser uma solução aceitável nos casos leves. As lentes de contato para o ceratocone são especiais e devem ser rígidas para regularizar a superfície da córnea. Uma grande parte dos pacientes pode ser tratada de forma conservadora com lentes de contato por um longo período de tempo. Porém, nos casos mais graves, o paciente costuma não tolerar o uso das lentes ocasionando outros tratamentos como o Crosslinking (que objetiva estabilizar a doença através de gotas de riboflavina e um feixe de luz UV-A,), Anel de Ferrara (que é o implante, dentro da córnea, de um arco rígido de acrílico, alterando a curvatura e reduzindo o ceratocone) e Transplante de Córnea CURIOSIDADES O "criador" do Anel de Ferrara, que revolucionou o tratamento do ceratocone em 1987 é um brasileiro, o Doutor e Mestre em oftalmologia Prof. Paulo Ferrara de Almeida Cunha. A origem no nome Ceratocone é grega, (do grego kerato: córnea; konus: em forma de cone)


Clínica de Olhos Teixeira Pinto conta com renomado corpo clínico apto a auxiliá-lo no tratamento e acompanhamento das mais variadas doenças oculares. Estamos a disposição para ajudá-lo se necessário.


“Seus olhos não estão em quarentena, não perca seu médico de vista”




79 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo